Archive for the ‘Comportamento’ Category

Transa musical

agosto 20, 2009

Sometimes acontecem umas transas especiais inspiradas por sons cheios de sexual healing como diria Marvin Gaye. São musicas que inspiram transas “taradéééérriiimassss”…lentas… livres… e ultras-mega-gostosas!!

Ok, nem sempre as transas têm a sorte de contar com soundtrack, na verdade, na maioria das vezes, elas não estão presentes. As pessoas querem transar, e quando a chance aparece, o máximo que se consegue é não esquecer a camisinha. Lembrar da musica, talvez no dia dos namorados, e para casais absorvidos pela rotina, tentando esquentar a coisa – se bem que essa coisa de tentar esquentar, já é meio broxante não? Parece um task a ser cumprido…mas voltandooo: lembrar do som também é mais comum naaaakelas  🙂 primeiras transas, quando a barriga ainda faz balão ( a minha faz!!!) , o povo ta embalado por emoções palpitantes, e dá aquele nervoso bom dos primeiros charmes.

Então, há centenas dessas musicas, para os mais diferentes gostos musicais, mas hoje escolhi Brother To the Night (A Blues for Nina), um poema lindamente musicado, e maravilhosamente interpretado pelo ator Larenz Tate.

Apenas uma sugestão, sem primeiros lugares de nenhuma lista. Aliás, uma lista poderosa poderia ser elaborada coletivamente, por isso o PernasAbertas deixa o convite para mais sugestões. Seria…digamos que, um ato solidário aos mais tímidos!! Genteeee, é sexoooo!! Não confundir com love songs, para momentos “fazer amor”, isso são outros posts e outras bossas!!!

Brother To The Night (A Blues For Nina) Darius’ Poem

Say baby, can I be your slave

I’ve got to admit girl, you’re the shit girl

And I’m diggin’ you like a grave

Now do they call you daughter to the spinnin post, or

Or maybe Queen of 2,000 moons

Sister to the distant, yet risin’ star

Is your name Yimmy-Ya

Oh hell nah, it’s got to be Oshun

Ooo, is that a smile me put on your face child

Wide as a field of Jasmine and Glover

Talk that talk honey, walk that walk money

Hound legs that’ll spank Jehovah

Shit, who am I?

It’s not important

But they call me Brother to the Night

And right now

I’m the blues in your left thigh

Tryin to become the funk in your right

Who am I?

I’ll be whoever you say

But right now, I’m the sight raped hunter

Blindly pursuing you as my prey

And I just wanna give you injections, of sublime erections

And get you to dance to my rhythm

Make you dream archaetypes, of black angels in flight

Upon wings, of distorted, contorted, metaphoric jism

Come on slim

Fuck yo’ man, I ain’t worried about him

It’s you who I wanna step to my scene

Cause rather than deal with the fallacy

Of this dry ass reality

I rather dance and romance your sweet ass, in a wet dream

Who am I?

Well they all call me Brother to the Night

And right now, I’m the blues in your left thigh

Trying to become the funk in your right

Is that alright

Darius Lovehall

Gay Port

novembro 10, 2008

vaginas púrpuras

            A primavera em Porto Alegre derruba vaginas púrpuras pelo chão. No banco da praça, tento recuperar algum ar que me falta. Há pouco, tinha visto aquele monte de músculos envolta do corpo de um homem andando com um YorkShire. Um mimo.

           Horas depois, ele retornou ao mesmo parque, agora em uma bicicleta. Vi quando ele tirou uma revista de homens nus da mochila, colocou no lixo e saiu limpando as mãos. (eca!)

           Ooooh, my Gay Port! Nesse domingo, dia 16, tem a Parada Livre na mesma Redenção.

Os pervertidos

agosto 27, 2008

raul pervertido

A maioria dos pervertidos são homens. É uma estatística minha. Claro que também há mulheres pervertidas, mas acredito que componham 22% do grupo. Os outros porcentos ficam por conta do cromossomo y.

 Nada contra uma perversãozinha, mas uma mão segurando um pênis pra fora da calça, ao meio-dia de uma quarta-feira, na principal praça da capital, é perversão demais. Também é uma opinião minha.

Perguntei pra Marina, que me acompanhava no passeio quase primaveril, se ela concebia a possibilidade de uma mulher fazer algo parecido na mesma situação. Somente uma insandecida para colocar a mão dentro da calça – na impossibilidade de tirar para fora – e, se masturbar, vendo duas pessoas desconhecidas a ela que conversam sobre utopias bucólicas no parque.

Abrindo as pernas da China

agosto 20, 2008

Pois é, quem acompanha o bando de matérias sobre peculiaridades nas ruas chinesas e vê aquelas multidões por tudo que é lado poderia pensar: “nossa, esses caras devem ser ninfomaníacos pra fabricar tanta gente”. Que nada, caro leitor, o sexo continua sendo um enorme tabu por aquelas terras. Foi o que a Folha de São Paulo tentou desvendar no último dia 10, e eu só consegui ler hoje porque uma boa alma copiou e colou este conteúdo exclusivo para assinantes num blog camarada. Leia aqui.

Algumas ‘curiosidadades’ para os interessados:

*a idade média para a primeira relação sexual na China é de 21 anos;

*não há diálogo sobre homessexualidade: o filme “O segredo de Brokeback Mountain” – aquele dos cowboys gays – foi proibido no país, e a única celebridade a sair do armário publicamente – o ator Leslie Cheung – se suicidou em 2003;

*muito recentemente casais – apenas héteros – começaram a poder andar de mão dadas e se beijar em locais públicos.

Os mestres da obviedade

agosto 16, 2008

Quando eu digo que a ciência não serve pra nada, a não ser comprovar o que todo mundo já sabe há muito tempo, me chamam de implacante. Mas agora você pode ter certeza disso clicando aqui.

E a gente ainda fala mal das marias-gasolina…

maio 29, 2008

Nossa! Esse post quem ia gostar de escrever é o nosso correspondente internacional Douglas Skrotzky – aquele que pintava aqui sempre com umas bizarrices hilárias. Bicho, não tem nem o que escrever, vou colocar na íntegra essa pérola porque vale muito:

Homem afirma que já fez sexo com mais de mil carros

Americano já ‘namorou’ o fusca Herbie e carro do seriado ‘Supermáquina’.
Na internet, ele faz parte de fórum com mais de 500 ‘amantes’ de veículos.

“Não sou doente. Sei que já tive mais de mil namoradas, mas amei cada uma delas”. Aos 57 anos, o americano Edward Smith se considera, na verdade, um romântico. A diferença é que, em vez de mulheres, Smith tem o hábito de namorar carros.

“Eu aprecio a beleza, e tenho uma relação diferente com a beleza dos automóveis… Chego a um ponto onde essa apreciação vira uma expressão de amor”, explica Smith, atualmente ‘noivo’ de um fusca branco batizado de ‘Baunilha’.

Em entrevista ao jornal britânico ‘Telegraph’, ele diz que sua primeira experiência sexual com um carro foi aos 15 anos. Desde então, ele nunca mais se sentiu atraído por mulheres ou homens.

Curiosamente, assim como a maioria das pessoas, Smith tende a ter mais interesse sexual em celebridades. No caso, ele afirma já ter transado com ‘Herbie’, da série ‘Se meu fusca falasse’, e ‘K.I.T.T.’, mais conhecida como ‘Supermáquina’.

Ele não esconde o fato de nunca ter sido ‘fiel’ aos carros que namora. Afirma, inclusive, que sua experiência sexual mais intensa foi com um helicóptero do seriado ‘Águia de Fogo’, dos anos 80.

Smith diz que não está sozinho em seu fetiche. Na internet, ele encontrou uma comunidade que reúne mais de 500 “amantes de carros”. “É mais comum do que a maioria das pessoas imagina”, diz.

fonte: Globo

Sexo entre aviões

maio 16, 2008

Porque os aviões também fazem.