Meu, que loucura!

by

“Lavar o pênis nos 10 primeiros minutos após uma relação sexual pode elevar o risco de contrair o vírus da aids em homens não circuncidados, indicou uma pesquisa realizada em Uganda pela equipe do médico Fredrick Makumbi na Conferência sobre Patogênese e Tratamento do HIV”.

Logo que li essa notícia, publicada neste mês no jornal norte-americano The New York Times, confesso que fiquei um pouco impressionado. Na verdade, imaginei que quem troca de parceiras constantemente e tem por hábito se banhar nesse período, quando tomou conhecimento do estudo, deu uma olhadinha na cueca para ver se não tinha nada borrado lá. Porque… saca só: até um tempinho atrás (quando falo tempinho, é tempinho mesmo), recomendava-se que a higiene na região genital era um importante fator de ajuda ao combate às DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis), independente do tempo. Agora, depois de disseminada a prática, vem um outro cara e dispara: “Para você que se preocupou em se manter limpo – e rápido – depois da transa, me desculpe, mas, talvez, a coisa ficou feia para você, camarada!”. Não que um cidadão portador do vírus esteja condenado, com a vida totalmente destruída pela doença. Lógico que não. Hoje, cada vez mais, os soros positivos mostram a vontade de viver e de lutar por um lugar ao sol no mundo.
Mas, o fato é que a orientação anterior de parte da comunidade médica não contribuiu para que as pessoas se defendessem, na plenitude, contra a doença. Na verdade – e o pior –, é que ela expôs mais ainda os cidadãos ao perigo de contrair a síndrome. É insano. A vida de sabe lá Deus quantas pessoas pode ter sido alterada e, por conseqüência, tornada um pouco mais conturbada. O cidadão, com os sintomas da aids visíveis, vira refém dos coquetéis (uma tonelada de remédios), além de ter de enfrentar o preconceito e a repulsa – não por maldade, mas por medo e ignorância (acho) – de parte da sociedade.

Por isso o desabafo. É lógico e benéfico que os cientistas continuem a descobrir novos mistérios e peculiaridades da vida, corpo e saúde humanos. Mas, puxa vida, o negócio precisa ser cuidadoso. Não dá para sair divulgando (e aí também uma alfinetada na imprensa) qualquer coisa de forma inconseqüente.

Imagine só. Os caras lançam a notícia na mídia e, daqui para frente, muita gente que leu a matéria vai lavar o pênis após 10 minutos decorridos do sexo. Digamos que vire uma prática. Meses ou anos para o futuro, sei lá, vem outro cientista e diz: “Na verdade, o que se pregava não é exatamente certo. Depois da quinta lavada, higienizar o ‘pinto’ decorridos 10 minutos do sexo pode elevar os riscos de ser infectado pelo HIV”. Porra!!!

O cara que contraiu o vírus por sempre lavar o membro após os benditos 10 minutos só pode se sentir apunhalado pelas costas! Dá vontade de dar um tiro na boca (tá, um pouco exagerado). Então… Pensar nesse assunto é difícil. Fiquei até meio perturbado. Não sei de mais nada. O fato é que, quanto mais o tempo corre e mais imagino essas situações, mais impressionado fico.

Quem quiser ler a matéria e conhecer detalhes da pesquisa pode acessar a página:

http://noticias.terra.com.br/ciencia/interna/0,,OI1851924-EI298,00.html

Uma resposta to “Meu, que loucura!”

  1. marcia cardoso Says:

    sem comentarios…. que porra é essa. corre que ainda dá tempo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: