Arquivo da categoria ‘Sex-Oculto’

Os frutos de Afrodite

setembro 22, 2007

Foto: Lyubomir Bukov

 

Você sabe o que é afrodisíaco. Todo mundo, de uma certa idade para cima, sabe o que é um afrodisíaco. Ninguém sabe se funciona, mas com certeza sabe dizer uma substância, iguaria culinária ou ritual que tem a fama de ser sexualmente estimulante.

Da ostra às “garrafadas”, os afrodisíacos aparecem diversas vezes na história da humanidade. Mesmo no Antigo Testamento (pasmem!), conta-se que Raquel, uma das esposas de Jacó, utilizou a mandrágora para facilitar a gravidez. Tá tá, não fala em sexo, mas garanto que ninguém aqui tem dúvidas em relação a como bebês são feitos…

O nome ‘afrodisíaco’ tem sua origem em Afrodite, que é o nome da deusa grega da fertilidade, do amor (incluíndo, sim, o amor sexual) e da beleza. Reza a lenda que quando Cronos (Saturno) foi tomar o lugar de seu pai, Céu (ou Urano), acabou cortando-lhe os testículos. Ao caírem sobre mar, o sangue dos ‘documentos’ de Urano gerou uma espuma avermelhada, da qual surgiu Afrodite (cujo nome literamente significa ‘nascida da espuma’).

Mas chega de mitologia: é hora do conhecimento útil. Ou seja, o que voce pode usar para melhorar a sua performance na cama. Então vamos à lista de compras:

Alimentos: anchovas, ostras, caviar, lardo, alcaçuz, chili, curry, chocolate, coxas de rã, carne de avestruz, trufa, tomates, pepino, espargo, avelã, amêndoas, nozes, morangos, bananas, mel (…néctar de Afrodite, dourado tesouro da terra, resultado da alma das flores e do trabalho das abelhas…)

Bebidas: álcool e infusões afrodisíacas.

Produtos naturais: ginseng, miura puama, mandragora, catuaba, baunilha, guaraná

Outros: corno de rinoceronte, esperma de cervo, odores como almíscar, ylang-ylang, canela, cravo e outros.

 

Em seu divertidíssimo livro ‘Afrodite’, a chilena Isabel Allende descreve em detalhes os mais diversos alimentos, bebidas, temperos e vários outros afrodisíacos. Sem falar que no final do livro, dá algumas receitas para se comer bem antes de ‘se comer bem’. Ela chega a mencionar a possibilidade do arroz ser um afrodisíaco, capaz até de explicar a superpopulação atual da China…será? Não custa tentar!

Mas se você é tri chinelão que nem eu, e mal tem dinheiro para o X do Betão ali da esquina, eis o melhor afrodisíaco de todos: A auto-estima. Não adianta você se entupir de caviar e Dom Pérignon, se na hora H você ficar pensando que é feio/feia, gordo/gorda, muito magro/magra, ruim de cama e coisas assim. Vale também dizer que frutinhas como morangos, um pouco de mel, creme de leite ou chocolate e muita criatividade fazem milagres!

 

E um último toque: bafão de comida é um anti-afrodisíaco de primeira. Então, se não quiser afugentar o seu amor, depois das comidinhas safadinhas, faça o favor de escovar esses dentes (e a língua também).

 

fonte: http://www.virilplant.com/afrodisiacos.htm

Sexo, ocultismo e subversão em DVD

setembro 20, 2007

Passeando pela blogosfera, fiquei sabendo do lançamento dos filmes de Kenneth Anger em DVD. Apesar de os discos não serem lançados no Brasil, é uma ótima oportunidade para baixar na rede os filmes de um dos maiores ícones do cinema underground.

Apesar de ter nascido na Califórnia, nas barbas de Hollywood, Anger ficou conhecido como um dos cineastas mais independentes de todos os tempos. Realizava filmes considerados por muitos de seu colegas verdadeiras obras-primas de edição, sem falas, apenas imagens alucinadas que falavam por si. Seus temas preferidos: o sexo e o ocultismo. Fez filmes com trilhas sonoras de Jimmy Page (Led Zeppelin) e Mick Jagger (Rolling Stones) e explorava a sexualidade ao extremo ao mesmo tempo em que se aventura pela religiosidade de Aleister Crowley – sim, o mesmo mago venerado por Raul Seixas em sua Sociedade Alternativa sob o nome de Thelemá.

A carreira de Anger desponta em 1947, com Fireworks, se identificando com a geração beat ao negar o “pesadelo com ar-condicionado” que era o american way of life se estabelecendo, e tentar buscar a transcedência em outros pagos, sempre em busca de liberdade.

Tarôs Eróticos: Parte II

setembro 9, 2007

Como prometido no último post, chegou a hora de falar dos baralhos que se baseiam no livro mais famoso da humanidade depois da Bíblia e do Senhor dos Anéis: o Kama Sutra.

Para quem não sabe o que é o Kama Sutra (hey, de que mundo você é???), eis aqui uma breve explicação: O Kama Sutra é um antigo texto indiano que fala sobre o comportamento sexual humano. Ele não é mais um guia de ’366 maneiras de enlouquecer seu homem na cama’. Não e não. Ele é, de certa forma, um trabalho sobre o amor, e conseqüentemente, sobre a maneira como os enamorados podem dar prazer um ao outro. O Kama é a literatura do desejo, do amor romântico e ao mesmo tempo, erótico.

Claro, que no mundo dos tarôs safadinhos, não poderia faltar alguns que se inspirassem no guia supremo de posições sexuais. Começaremos pelo baralho mais explícito, o Kamasutra Tarot, que mesmo sendo o único deles que mostra sexo em todas as cartas, é muito mais ‘leve’ que os apresentados na parte I. Creio que é por causa do estilo das imagens – lembram aquelas tapeçarias indianas, e, claro, as edições verdadeiras do Kama Sutra (diferente daquelas com fotografias feitas pela Anne Hooper). É safado, mas antes que você se empolgue demais, um aviso: algumas posições não devem ser reproduzidas em casa. Por exemplo, o 69 na vertical. Impossível, não sei se é, mas você pode matar a sua parceira com a queda se não tiver força e coordenação suficientes…

Para os mais românticos, existe o Kama Sutra Cards, que é mais sobre o romantismo que sobre o sexo sem limites. Claro, o baralho tem as suas cenas mais sem-vergonhas, mas todas são tão suaves (como se pintadas com aquarela) e no fundo tão eroticamente românticas e sensuais, que o sexo ganha um ar de conexão com o divino.

Se o seu interesse é mais numa arte de estilo oriental, e menos no sexo em si, talvez saiba apreciar o Tantra Tarot. Com imagens complexas e coloridas, e algumas cenas de sexo bem interessantes (como a da carta ‘O Carro’, que mostra uma espécie de orgia ambulante), ele é um baralho bem artístico e bem fiel à arte e espiritualidade indianas.

Confesso que, com esses baralhos, não prometo a mesma excitação que um Decameron ou um Manara podem trazer. Mas é uma alternativa diferente, para quem gostaria de trazer mais espiritualidade ao seu sexo (ou mais sexo à sua espiritualidade). Então não perca tempo: pegue um desses tarôs, leve o Kama para sua cama e saiba que não importa a sua safadeza, se você e o(a) seu(a) parceiro(a) estiverem sorrindo, estão sendo abençoados pelos Deuses.

Bacaninha esses Deuses, não?

kamasutra tarot…..kama sutra cards…..tantra tarot

Tarôs Eróticos: Parte I

setembro 8, 2007

…ou você achava que Tarô eram só aquela figuras meio quadradas do Tarô de Marselha, o excesso de amarelo do Tarô de Rider-Waite ou a viagem LSD do Tarô de Thoth (do tio Aleister Crowley, claro).

Não, meus amigos: para os safados místicos de plantão, existem SIM várias opções de baralhos de tarô altamente eróticos (para não dizer pornográficos da pior espécie). Claro, não recomendo usá-los para ler para aquela tia puritana (se é que ela aceitaria uma leitura que não fosse da Bíblia), mas para os colecionadores (como quem vos fala) e algumas brincadeirinha safadas do tipo ‘qual a posição de hoje?’, podem ser beeeem interessantes.

Mas qual escolher? Aviso, a variedade é grande. Existem alguns divertidamente sem vergonhas, como o Tarot of Casanova, e outros absurdamente explícitos, tal qual o Tarot Erotica. Tem para todos os gostos, mas ao meu ver, os mais legais são aqueles que mostram ‘sexo com nexo’. O que quero dizer? Muitos baralhos se concentram em mostrar cenas de genitais – e por favor povo, sexo não se faz só com a genitália. Acho que isso tira um pocuo a parte ‘humana’ do tarô, e no final acaba ficando cansativo e sempre a mesma coisa. É o que acontece com o Tarocco Erotico Dei Giardini Di Priapo (algo como ‘Tarô Erótico do Jardim do Pênis’). Depois da milésima figura de mulhers totalmentes depiladas, sempre com a mesma expressão e o mesmo corpo (muda só o cabelo), e cercadas de opções de ‘apetrechos penetratórios’ (e aí se encaixam algums figuras masculinas que disputam lugar com cavalos, bastões, moedas gigantes entre outros), o baralho vai perdendo a graça. As cenas não são divertidas, nem diferentes e nem criativas. No final você é incapaz de diferenciar uma carta da outra, exceto talvez pelo naipe (já que ele normalmente encontra-se perto da vagina da figura feminina da carta em questão).

Então, se estes que exageram não são legais, quais são as opções? Ora meu caro sex-ocultista, temos várias outras opções. O Manara: The Erotic Tarot (isso aí, feito pelo Milo Manara himself!) não o decepcionará com a falta de cenas calientes e explícitas, mas terá o mínimo de criatividade e arte necessários para que o brinquedo vá além de vaginas sem cara e pênis (e bastões, e dildos, e espadas e…) gigantes. Outro recomendado e já mencionado é o Tarot of Casanova. Elegante, com cenas de sexo em plena Veneza do século XVIII. As imagens são muito bem desenhadas (mas nem todas as cartas contém cenas pornográficas, já aviso), com direito a anáguas, espartilhos, meias 7/8 e perucas brancas para os homens.

Se você quer algo um pouquinho mais além, mas não no nível de exageiro do ‘Jardim do Pênis’ ou do ‘Tarot Erotica’, há o Decameron Tarot. Esse sim, pode ser bem usado para a brincadeira da qual falei antes, visto que as cartas apresentam váááárias possibilidades de posições sexuais.

Se você queria se iniciar em alguns mistérios ocultos, mas desistiu porque os achava muito ‘certinhos’, eis aí a sua oportunidade de mudar de idéia. Leia para os seus amigos que estão na seca, para as amigas em busca do ponto G da existência e…até mesmo para a tia puritana lá, quem sabe ela também decide ‘mudar de idéia’, né?

Casanova…..Decameron…..Manara…..penegarden.jpg

(E em breve: a continuação da nossa amostra de tarôs eróticos, desta vez com os tarôs sobre Kama Sutra. Uia! Não perca!)


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 32 outros seguidores